Não foi por acaso que Albert Einstein considerava que “a imaginação é mais importante que o conhecimento”. À sua época, o cientista já vislumbrava a relevância que a criatividade teria nas organizações modernas!

Afinal, ser criativo é fazer muito mais que resolver problemas. Quem é criativo encontra soluções impensadas, factíveis e que, muitas vezes, surgem em situações desfavoráveis. Por isso, em tempos de crise a criatividade pode ser considerada um bem mais precioso que o ouro!

Empresas criativas, como a Apple, a Amazon, a Netflix e o Uber se tornaram um ponto fora da curva justamente porque ousaram pensar diferente das outras empresas. E o que elas fizeram em seus segmentos pode ser feito por qualquer empresa que esteja disposta a ter a criatividade como um princípio básico do negócio. 

Para isso, vale a pena observar como essas empresas conseguiram inovar. Afinal, criar uma cultura de inovação, estimular o processo criativo e o desenvolvimento da equipe são algumas ações que podem ajudar as organizações modernas a se tornarem mais criativas.

A revista FastCompany publicou, em julho de 2016, uma lista com as 50 empresas consideradas mais inovadoras em 2016. Outros rankings até já foram criados por diferentes instituições, mas o importante é conseguir identificar o que essas empresas fazem de diferente que você também pode fazer. 

Então, continue lendo este post e confira alguns pontos importantes nesse processo!

A criação é livre

Você não precisa ser um publicitário, um designer ou um artista para criar. Na verdade, a criatividade é uma característica que pode fazer parte de qualquer área profissional, mas que deve ser incentivada e exercitada frequentemente. 

Quando o engenheiro eletrotécnico americano, Martin Cooper, criou o primeiro aparelho celular, por exemplo, ele não imaginava que aquele aparelho — que pesava quase um quilo e tinha cerca de 20 minutos de bateria — se tornaria um dos maiores utilitários de comunicação do mundo moderno.

Aquele celular foi sendo aperfeiçoado, e milhões de outros serviços e produtos foram criados em função dele: capas de celular, carregadores portáteis de bateria, câmera acoplada, aplicativos para diferentes fins, e muitos outros.

Da mesma forma, a capacidade de criar é livre e deve ser explorada por todos os profissionais que desejam inovar em suas empresas.

A criatividade como valor

Os gestores costumam cobrar criatividade de suas equipes, mas geralmente não oferecem condições para isso.

Então, se a inovação é percebida como um valor para a empresa, é preciso acompanhar e quantificar essas práticas de forma objetiva. Aliás, é preciso tornar a criatividade um valor para o negócio, motivado e aferido por meio de indicadores de desempenho e práticas de reconhecimento. 

Incentive políticas e momentos de criação, treinamentos que explorem a inventividade e desafios inovadores dentro da própria empresa, que possam sempre ser recompensados. 

E esses desafios devem partir de um problema real que a empresa tem e propõem que os colaboradores trabalhem na busca por condições de solucioná-lo. Assim, eles terão regras, tempo e recursos específicos para desenvolver uma solução.

Inovar a cada dia

A criatividade nas organizações não pode estar relacionada a momentos isolados e a projetos específicos — ela deve fazer parte das operações diárias da empresa. E um bom exemplo de gestão que sabe fazer isso muito bem é o Facebook. 

A empresa já é muito mais que uma rede social que permite aos usuários postarem fotos, áudios, vídeos e histórias. Hoje, o Facebook é uma grande plataforma de negócios, que aproveita sua imensa audiência no mundo para vender produtos e serviços.

Por meio de diferentes tipos de anúncios, a empresa faz parte da estratégia de marketing de organizações do mundo inteiro. E essas ferramentas, junto a práticas de remarketing, somam-se a inúmeras iniciativas de inovação que apoiam as organizações modernas. 

Assim, além de aperfeiçoar constantemente suas funcionalidades, o Facebook trabalha em soluções voltadas à curadoria de conteúdo, transmissão ao vivo, plataforma de e-commerce, ferramentas de busca avançada, e muitas outras.

Buscar apoio para criar

Embora o processo criativo possa ser desenvolvido internamente, não é uma atividade automática, e exige prática constante. Por isso, para apoiar esse processo introdutório, busque o apoio de empresas especializadas, que atuem em diferentes frentes, como tecnologia, marketing digital, recursos humanos, desenvolvimento do produto, etc.

Assim, a criatividade nas organizações pode ser buscada por meio de parcerias que te permitam chegar ao objetivo proposto. Afinal, para que a criação se torne uma política na sua organização, é importante aprender com os melhores. 

Se a Amazon, por exemplo, não tivesse bons parceiros que proporcionam a entrega eficiente dos produtos e uma série de serviços online que facilitam a vida do cliente, provavelmente não seria a gigante que é hoje.

A frase de Einstein e o Brasil

A já citada frase de Einstein tem um sentido maior do que imaginamos. Isso porque, no mercado, as pessoas inteligentes são reconhecidas pela desenvoltura com que oferecem respostas, conseguem resultados e atingem objetivos de forma rápida. 

Contudo, a capacidade imaginativa — que está ligada diretamente à criatividade — está mais relacionada à capacidade de formular questões do que responder a indagações.

Quem cria é capaz de construir mundos, imaginar condições e situações que permitam testar uma ideia ou simular soluções. Essas condições podem até parecer absurdas, mas funcionam como um dilatador para as ideias.

Então, para pensar dessa forma é importante vencer a questão cultural. Hoje, o Brasil não é um país que se destaca em termos de inovação, mas suas empresas precisam começar a mudar e perceber que esse é, sim, um caminho possível. 

Afinal, o país não pode se acomodar ao mercado de commodities. É preciso entrar nos novos mercados, principalmente naqueles ligados a tecnologias diversas: telecomunicações, nanotecnologia, bioenergia, Internet das Coisas, e tantos outros.

O Japão do pós-guerra, por exemplo, trabalhou como nunca para se destacar em diversas áreas do mercado mundial. A China surpreende a cada dia, oferecendo alternativas de negócios e serviços diversos. A Coreia do Sul revolucionou diferentes mercados e ainda criou uma educação robusta capaz de perpetuar essa ideia. 

Já o Brasil tem todas as condições de se desenvolver em diversas áreas: bom clima, terras férteis e farta mão-de-obra. Portanto, é fundamental incentivar, desde os primeiros anos de cada indivíduo, a capacidade imaginativa. Seja em casa, na escola, no ambiente de trabalho, ou nos grupos de amigos.

Enfim, a criatividade nas organizações modernas é mesmo um desafio e uma necessidade da atualidade. E aí, como você espera implantar a inovação como um processo constante na sua empresa?

Se você gostou desse post, aproveite para assinar a nossa newsletter e fique por dentro de todos os nossos próximos conteúdos!