Entrar em um marketplace é uma alternativa para os lojistas que querem contar com uma ampla divulgação dos seus produtos e aumentar suas vendas. De acordo com a 3ª Pesquisa Nacional do Varejo Online/Sebrae e E-Commerce Brasil, 38% dos lojistas pensam em aderir ao marketplace, enquanto 24% já investem no segmento.

Apesar de todas as vantagens, é comum que existam algumas dúvidas sobre esse modelo de negócio. Qualquer loja virtual pode aderir? Qual é a documentação necessária? Neste artigo, separamos os temas principais para responder essas e outras dúvidas. Acompanhe!

Documentação e integração com a plataforma

O primeiro passo é confirmar se a sua plataforma de e-commerce possui integração com o marketplace que você deseja vender. Atualmente, grande parte dos sistemas conseguem fazer essa integração sem problemas. Caso sua plataforma não ofereça essa opção, é uma boa ideia procurar outras alternativas para o seu e-commerce.

Uma dica é começar atuando nos marketplaces menores, que são mais acessíveis e fáceis de vender. Após adquirir experiência, invista nos maiores — dessa forma, terá mais segurança no processo. Identifique também quais os sites que são mais relacionados ao seu público-alvo.

É necessário que sua empresa seja formalizada e apresente nota fiscal. A mercadoria também precisa ser documentada com registros que comprovem a sua origem. Para algumas categorias, como eletrônicos, importados e informática, ainda existem uma série de documentos específicos que você pode consultar nas regras de cada marketplace.

O objetivo de todas essas exigências é garantir a credibilidade da empresa, impedindo a venda de mercadorias usadas, roubadas ou de origem ilícita. Após submeter seu pedido de entrada, sua loja virtual será analisada. Cada empresa possui seus próprios requisitos, mas em geral são:

  • Tempo mínimo de operação (varia de acordo com cada marketplace);
  • Uma boa reputação no Reclame Aqui;
  • Avaliação do E-bit ou selos semelhantes;
  • Preços competitivos;
  • ​Boa variedade de mercadoria.

Assim que sua loja virtual for aprovada, o marketplace oferece uma chave de integração. O processo entre solicitação e integração dos sistemas costuma durar em torno de 2 semanas. Existem, no mercado, empresas conhecidas como integradores de marketplace. Elas conseguem tornar esse processo mais ágil, além de facilitar a administração do estoque.

Ao se tornar um seller (lojista que vende em marketplace), é necessário pagar uma comissão ao site — fica por volta de 16% sobre a venda. A loja virtual recebe o valor da negociação em um prazo que varia entre 10 a 30 dias, de acordo com o marketplace.

Estoque e cadastro de produtos

O lojista que deseja investir em marketplace precisa ter um estoque considerável. Não é interessante apresentar anúncios de produtos esgotados e indisponíveis — essa situação pode impactar negativamente na imagem do seller e causar a sua suspensão (falaremos mais sobre o assunto ao longo do artigo).

No momento de cadastrar a mercadoria, cada empresa possui suas exigências em relação ao título, descrição, número e tamanho das imagens, entre outros pontos. Fabricante e marca são alguns dos itens obrigatórios nas descrições.

Logística

A entrega do produto é de responsabilidade do lojista, que precisa administrar os pedidos do marketplace e da própria loja virtual. Como já apontamos no começo do artigo, é interessante contar com a ajuda de uma empresa especializada para fazer essa integração.

Ao concentrar todas as informações em um mesmo sistema, é possível ter uma visão geral do estoque, evitar atrasos na entrega, calcular o frete de cada região corretamente, ver os status dos pedidos e mais outras informações relevantes para o processo de logística.

Em linha gerais, é fundamental investir em ferramentas tecnológicas para que a integração com o marketplace traga os resultados esperados.

Guia completo para alavancar suas vendas no marketplace

Marketing

Uma das principais vantagens do marketplace é que o lojista conta com uma grande estrutura de marketing sem precisar investir altos valores. As Casas Bahia, por exemplo, é hoje uma grande anunciante da TV no Brasil. Esses sites possuem um grande volume de tráfego devido a credibilidade da marca, e os lojistas podem aproveitar essa visibilidade para aumentar a conversão.

Apesar dessa vantagem competitiva, é importante lembrar que dentro de um markeplace existem vários logistas do mesmo segmento e que oferecem preços semelhantes. Por isso, é necessário ficar atento para destacar seus produtos entre os concorrentes no site. Confira abaixo algumas dicas:

  • Escolha boas fotos, com vários ângulos e zoom;
  • Procure deixar a linguagem técnica de lado ao elaborar a descrição dos produtos – apesar das informações parecerem óbvias para alguns, não deixe de explicar o conteúdo de forma didática;
  • Ofereça frete grátis ou descontos para clientes fiéis como forma de criar um bom relacionamento;
  • Invista em publicidade dentro do próprio marketplace, comprando banners e modelos de anúncios;
  • Destaque os produtos mais procurados do seu site ou que são exclusivos da sua marca;
  • Promoções são uma ótima forma de marketing, mas é necessário respeitar algumas regras, como a redução de preço limitada a 50% por vez;
  • Mantenha uma boa reputação para ter seus produtos anunciados na buy box ou seller box (trata-se de locais de destaque no site em que os produtos são recomendados aos consumidores. Quem faz a escolha de quais lojas merecem aparecer nesse espaço é o próprio marketplace).

Critérios de suspensão do marketplace

Ser aprovado para entrar no marketplace não é garantia de permanecer no site para sempre. Existem alguns critérios que podem provocar a suspensão de um seller. Cada site possui seus pré-requisitos, confira abaixo alguns motivos que podem fazer o logista ser banido:

  • Ter baixa reputação no Reclame Aqui ou muitas reclamações no Procon;
  • Atraso nas entregas;
  • Vender produtos proibidos pelo regulamento do site;
  • Chamados não respondidos;
  • Cancelamentos de venda realizados pelo próprio seller;
  • Anúncio de produtos que não estão disponíveis no estoque.

Começar no Marketplace é uma forma de aumentar o alcance do seu público-alvo, ter mais credibilidade, passar confiança ao consumidor e redirecionar seu lucro para melhorias no negócio. Neste artigo, mostramos os pré-requisitos principais para se tornar um seller e algumas dicas para conseguir bons resultados.

Agora que você conferiu como entrar em um Marketplace, aproveite a visita para ler o nosso artigo “Entenda como gerenciar sua loja em diferentes marketplaces” e aprimore ainda mais os seus conhecimentos!