Você já pensou no CMO do futuro? É muito fácil pensarmos no chefe de Marketing dos departamentos sob a ótica tradicional. Entretanto, assim como muitas coisas mudaram ao longo dos últimos anos, o papel do CMO também evoluiu e é sobre isso que falaremos hoje.

Em um artigo da revista Times o CMO do futuro foi o foco. O relatório postado pela publicação tinha como objetivo investigar a linha tênue entre estar próximo de nosso público-alvo e ser invasivo, além de abordar como o papel do CMO do futuro tende a direcioná-lo para outros cargos gerenciais, como o de CEO.

Outros pontos levantados foram a diversidade no mercado e como marcas podem ser mais éticas. Baseados nessas informações e em outros levantamentos que analisam o papel desse profissional, levantamos alguns pontos que deverão ser importantes em sua jornada. Confira, abaixo, o que é preciso para ser o CMO do futuro!

Um profissional de dados

A primeira coisa que muda na nossa percepção sobre o CMO para o futuro é a maneira como ele se relaciona com os dados. Não é novidade que o Marketing é baseado nas respostas que podemos aferir do mercado, mas nunca antes em nossa história podíamos medi-las e determiná-las com tamanha precisão. Por causa disso, hoje podemos igualar o CMO a um profissional de dados.

O Marketing Data Driven é uma das grandes tendências para o futuro. E os CMOs precisam atuar levando esse ponto em consideração e trabalhando para estabelecer uma cultura de dados em suas organizações. O primeiro passo para isso é a alfabetização de dados, que deve começar para o próprio CMO.

Entender como as informações a que temos acesso, usando tecnologias como Big Data e Business Intelligence, pode moldar nossa tomada de decisões é o desafio. Para que o CMO do futuro obtenha sucesso, ele deve considerar quanto do seu trabalho pode ser baseado em informações e descobrir quais são os dados mais importantes para seu nicho de mercado em específico.

É preciso que o CMO esteja ciente de que o seu papel nas organizações é o de capitanear a mudança. Então ele deve sair à frente da sua equipe, estudando tecnologias e recursos que possam melhorar a maneira como ela aborda consumidores.

O CMO do futuro está alinhado às tendências do mercado

Ainda no espírito do tópico anterior precisamos frisar a importância de um CMO estar em constante atualização. Afinal, é o seu alinhamento com as principais tendências do mercado que pode orientar sua equipe na direção certa. Esses profissionais, para manterem-se no topo de seus campos, precisam mudar de forma constante e acompanhar os avanços em seu mercado de maneira atenta.

É claro que, para isso, muitas vezes é preciso ouvir sua equipe. Naturalmente, grandes ideias sairão da boca das pessoas ao seu redor, que ouviram falar de uma novidade ou acabaram de fazer um curso a respeito de uma nova tendência. O CMO, como qualquer outro chefe, deve saber se relacionar bem com o seu time a fim de aproveitar-se melhor das capacidades da equipe que montou.

Ainda assim, é esperado dele um papel de liderança. E essa liderança muitas vezes é estabelecida capitaneando mudanças, implementando novas soluções e guiando o investimento em tecnologias que precisam de seu aval para serem utilizadas.

O CMO do futuro é um agente da mudança. E ele é capaz de conduzi-la bem porque está sempre alinhado às tendências e respostas oferecidas pelo mercado.

Guiando as estratégias do negócio

Falando em liderança, o CMO do futuro tem um papel essencial aí. É ele que domina o planejamento estratégico do negócio quando o assunto é Marketing e o seu papel é oferecer a consumidores produtos e serviços que tornarão as vidas deles mais simples. Hoje, falar em “fidelização” é muito mais complicado que no passado.

As pessoas priorizam atendimentos e serviços inovadores e não têm nenhum pudor de trocar marcas estabelecidas por startups que fazem o mesmo, com mais eficiência. Pense em como rapidamente a parcela mais jovem da população deixou de usar táxis em favor dos Ubers.

É aí que entram os CMOs do futuro. Eles têm a obrigação de conhecer seus consumidores melhor do que ninguém e utilizam esse conhecimento para sugerir mudanças estratégicas no negócio. O produto ou serviço vendido hoje nunca dependeu tão fortemente dos insights obtidos junto ao departamento de Marketing e um CMO preparado entende isso muito bem.

Domínio da personalização

Queremos experiências de cliente únicas, mas ao mesmo tempo estamos muito preocupados com a nossa privacidade. A forma como empresas e redes sociais lidam com os nossos dados é algo que permeia nosso pensamento com muito mais frequência do que no passado. Temos consciência que as informações que compartilhamos serão usadas para negócios. Todavia, a ética do uso dessas informações é responsabilidade das empresas.

É uma coisa pensar em nossos dados sendo utilizados para personalizar nossa experiência de consumo e fazê-la melhor do que é hoje. Outra é ter a impressão de que marcas instalaram câmeras escondidas em nossa casa, antecipando coisas que jamais compartilhamos com elas.

Os esforços em direção à personalização de serviços devem começar de maneira simples. O mero fato de um call center lembrar-se do tema da nossa última ligação, por exemplo, pode fazer uma grande diferença em nossos atendimentos do futuro. Em breve, customizar serviços e produtos será essencial para sobreviver no mercado e a linha entre o que é ético e o que não é, nesse contexto, deve ser traçada pelo CMO.

Automatização e tecnologia

Outro ponto importante para o CMO do futuro é a forma como ele se relaciona com tecnologia. Hoje, recursos como o Machine Learning e a Inteligência Artificial vêm ganhando espaço nos departamentos de Marketing. Mas ainda são novidades.

O CMO engajado deve procurar entender essas tecnologias e traçar um plano de como elas podem ser aplicadas com mais eficiência em um negócio, sempre levando em consideração como elas podem melhorar e acelerar a experiência do consumidor.

Chatbots são um exemplo de como essas tecnologias estão se integrando à rotina das empresas. Porém, devem ser avaliados sempre no contexto de cada negócio e a resposta dos consumidores precisa ser ouvida constantemente.

O CMO do futuro precisa equilibrar conhecimentos em múltiplas áreas, mas não deve nunca perder o foco da sua atuação. Pensar no consumidor e colocar as necessidades dele em primeiro lugar continua sendo a parte mais importante do trabalho desses profissionais.

Gostou de entender melhor o papel do CMO do futuro? Aproveite então para compartilhar este artigo nas suas redes sociais!