Dominar, aplicar e monitorar continuamente ferramentas de análise de desempenho é fundamental para o sucesso de um negócio. Para o empreendedor do varejo virtual isso não é diferente. Existe uma série de indicadores de desempenho específicos para e-commerce, todos visando fundamentar a gestão da plataforma.

Os indicadores de desempenho, ou KPI (Key Performance Indicator), basicamente podem ser divididos em dois grupos: indicadores ligados à área comercial e aqueles voltados ao marketing.

Todos são fundamentais para embasar estratégias de curto, médio e longo prazo, assim como abastecer o gestor com dados precisos para tomadas de decisões.

A primeira coisa que deve ser feita é baixar e instalar um software de monitoramento de tráfego — o mais completo e utilizado é o Google Analytics. Boas plataformas já possuem compatibilidade com o programa e até mesmo plugins específicos para lojas virtuais.

É preciso salientar que, antes de tudo, deve-se ter bem especificado quais são as metas e objetivos da sua empresa. Monitorar erroneamente conduz a conclusões equivocadas. Portanto, é preciso sempre considerar quais são seus objetivos para, então, detectar qual métrica é mais aplicável ao seu site.

Agora que você teve uma contextualização do assunto, continue lendo nosso post e conheça mais detalhes sobre cada um dos principais indicadores de desempenho usados no e-commerce!

1. Taxa de rejeição e saída

Enquanto o indicador de rejeição lhe fornece a quantidade de visitas a uma única página, sem interação, a taxa de saída permite conhecer quantos visitantes abandonaram o seu site a partir de uma página específica.

A primeira serve para ter uma ideia de quantas pessoas chegaram até o seu site, via links patrocinados, busca orgânica, etc. Uma taxa de rejeição alta pode indicar problemas de navegabilidade ou layout.

Já a segunda é indicada para conhecer qual página específica do seu site apresenta problemas, que podem ser de layout ou falta de produtos, por exemplo.

Supõem-se que na rejeição a pessoa se deparou com o seu site, não gostou do que viu e saiu. A taxa de saída mostra que ela se interessou, navegou um pouco até chegar em uma aba que a fez sair.

De acordo com alguns especialistas, taxa de rejeição acima de 85% tende a ser um sinal de problemas com layout da página. Taxas de 60% a 80%, indicam problemas com canais, ou seja, visitantes que não condizem com o seu e-commerce. 

 

6_acoes_marketing_970x250

 

2. Tráfego: origem e orgânico

Saber quem é o seu público é fundamental para definir estratégias. Por meio desta métrica você descobre de onde estão vindo seus acessos. O ideal é ter um tráfego diversificado, para não depender unicamente de um meio.

Os principais indicadores de origem são: tráfego direto; tráfego de referência, por meio de links do seu site em outras páginas; tráfego pago, via anúncios; campanha e tráfego orgânico, proveniente de motores de busca como Google, Bing e Yahoo. 

Com esse indicador de desempenho também é possível acompanhar o sucesso de campanhas como links patrocinados, mídias sociais, mobile, tráfego orgânico, etc.

Falando em tráfego orgânico, essa também é uma métrica que pode, e deve, ser monitorada isoladamente. Basicamente, diz respeito às pessoas que chegaram até o seu e-commerce sem intermédio de um anúncio pago.

Ou seja, esse é um indicador relevante para acompanhar o sucesso das suas campanhas e estratégias de SEO. Caso o índice esteja baixo, é preciso reconsiderá-las urgentemente!

3. Tempo médio e páginas visualizadas por sessão

Normalmente, esses dois indicadores tendem a ser proporcionais. Assim, se o tempo médio de visita em seu e-commerce está baixo, o número de páginas visualizadas também será menor.

Assim como a taxa de saída e rejeição, essa métrica pode indicar problemas com layout intuitivo, dificuldades para encontrar o produto desejado ou problemas com navegabilidade em dispositivos móveis.

A estratégia usada para melhorar esses indicadores é investir na navegabilidade da plataforma do seu e-commerce, adaptando-a para dispositivos móveis, caso ainda não seja, e melhorando o layout, de forma que fique mais confortável ao usuário e também mais intuitivo. 

4. Indicador de desempenho dos artigos

Esta métrica lhe permite ter conhecimento tanto do número de compartilhamento dos seus artigos como da quantidade de leads (potenciais clientes) gerados por eles.

Ela é muito assertiva no acompanhamento de quais conteúdos estão sendo mais relevantes para suas estratégias, assim como servir de parâmetro para os artigos com indicadores mais baixos.

Com base nesses dados, você pode ajustar suas estratégias, melhorando a experiência do usuário e a relevância do conteúdo, com o intuito de incentivar o compartilhamento e converter leads em compradores.

5. Taxa de abandono de checkout

Agora entramos no campo das vendas, propriamente ditas. Assim como as métricas anteriores são fundamentais para a gestão, essas também são — afinal, o objetivo final é fazer o cliente comprar.

A taxa de abandono serve para você acompanhar quantas pessoas estão abandonando o seu e-commerce após escolher produtos, desistindo da compra.

Falta de botões de ação, frete muito alto, inexistência de avaliações ou certificados de segurança, poucas opções de pagamento, etc. Esses são alguns motivos que devem ser analisados, visando reverter esse quadro.

6. Compras concluídas e ticket médio

Também conhecido como AOV (Average Order Value), a taxa de ticket médio das suas vendas é uma métrica essencial para formular estratégias que possam aumentar esse valor, como programas de fidelidade, indicação de mais itens, cupom de desconto para valores mais altos, etc.

Já a métrica de compras concluídas deve ser analisada em conjunto com a taxa de abandono, para se ter uma média de conversão de clientes. Quantos possíveis compradores, de fato, concluem o pedido? Esse é um dado relevante para o seu e-commerce.

Com base nessas informações, você pode investir em disparos de e-mail marketing, campanhas personalizadas, incentivar os compradores mais fiéis a fazer reviews, etc.

Monitoramento constante 

Como apresentamos no início, são muitas as ferramentas de indicadores de desempenho de seu e-commerce. E tão importante quanto conhecer a característica e o benefício de cada uma delas, é identificar estrategicamente qual a mais adequada para o seu negócio.

Não se esqueça de que o monitoramento deve ser feito constantemente, assim como a comparação e tabulação com os resultados anteriores, a fim de ter um feedback das suas ações.

Quer ficar sempre por dentro dos melhores conteúdos para o sucesso do seu e-commerce? Assine nossa newsletter!