Estima-se que o Brasil seja o país com mais usuários cadastrados nas redes sociais da América Latina. Além de impressionante, esta ideia revela para qualquer empreendedor que ainda está em dúvida se começa ou não a investir nesse meio digital que se trata de um ambiente bastante interessante. Mas será mesmo que as redes sociais são um espaço potente para atrair clientes e ampliar o faturamento dos negócios?

Uma coisa é fato: não importa o segmento do seu empreendimento, o seu cliente, provavelmente, é usuário de alguma rede social. E, se você deseja  estar presente em seu pensamento e atingi-lo de forma certeira, você tem que estar lá também. Caso você não esteja, seus concorrentes estarão. Então, é hora de começar a repensar a sua estratégia.

Nesse cenário, o Social Selling surge como uma ferramenta bastante útil. Já ouviu falar nela? Então, vem com a gente para entender melhor do que se trata e como implantá-la na sua empresa.

Social Selling: o que é e como ela pode potencializar o seu negócio?

Social Selling é a estratégia de vendas que utiliza as redes sociais como aliadas para captar novos clientes, educá-los para a venda e mantê-los em contato. Por isso, o relacionamento com os consumidores tem sido um investimento cada vez mais recorrente em empresas no mundo inteiro — e as redes sociais são o cenário mais propício para garantir uma estratégia bem-sucedida.

Não ficou claro ainda? Vamos imaginar a seguinte história, então:

A perspectiva de João

João está navegando pelo seu feed do Facebook e se depara com um post sobre os 5 sinais de que o seu animal de estimação precisa de uma consulta com o veterinário. João se sente interessado, pois já faz um tempo que não leva seu cachorro a uma consulta. Ele lê o conteúdo e se sente convencido pelos argumentos que o artigo apresenta a ele.

Depois de ter lido, ele percebe que o conteúdo foi publicado pela página de uma clínica veterinária. Ele resolve visitá-la e descobre que a localização é ótima e, pela quantidade de conteúdos ricos e interessantes que ela posta, a qualidade do serviço prestado provavelmente também é bem alta! João curte a página e, durante alguns dias, acompanha os conteúdos que são publicados por ela.

Quando João decide que seu cachorro precisa de uma consulta, a primeira clínica que vem à sua cabeça é aquela cuja a página posta diariamente dicas de cuidados para aqueles que possuem animais de estimação. Ele visita a página, acessa o link do site disponível e consegue o contato da clínica.

João agora é cliente fiel da clínica veterinária que descobriu navegando, aleatoriamente, pelo Facebook.

Essa história é mais comum do que você pensa. Trata-se de um tipo de marketing atrativo que não é invasivo e nem incomoda o cliente em seus afazeres do dia a dia. Estando presente nas redes sociais, você é encontrado pelos seus clientes e o que você tem a oferecer vai ao encontro daquilo que eles estão buscando.

A perspectiva da clínica

A clínica da história percebeu, em determinado momento da sua trajetória empreendedora, que os clientes responsáveis pela maior parte do seu faturamento eram aqueles do perfil de João: mesma idade, mesmo interesses e mesmas necessidades. A clínica entendeu que precisaria focar a sua estratégia de marketing e relacionamento nesse perfil de cliente e resolveu investir em redes sociais nas quais pessoas como João se cadastram diariamente.

Ao investir no Facebook, por exemplo, a clínica pôde segmentar os seus conteúdos e anúncios para o perfil de cliente que mais traz lucro e retorno para a clínica: donos de cães e gatos.

Além de atrair esses clientes, a clínica percebeu que aqueles que curtiam a sua página na rede social acabavam compartilhando seus conteúdos e atraindo cada vez um público maior para ela. Isso porque os clientes usuários das redes sociais acabam se tornando promotores do seu empreendimento de forma espontânea e orgânica: eles compartilham os conteúdos que acreditam ser interessantes e divulgam o seu trabalho.

Usuário a cliente: como realizar essa transformação?

Quando lidamos apenas com o marketing tradicional, empurrando um anúncio na cara de um potencial cliente, não sabemos se aquela pessoa está no momento ideal para a compra.

Por meio da estratégia de Social Selling, você educa o potencial cliente e o conduz em sua jornada de compra. Primeiro, informando-o sobre o seu produto e benefícios e oferecendo dicas e conteúdos ricos que podem ajudá-lo em seu dia a dia. Dessa forma, você garante que qualquer cliente em potencial consumirá o seu produto ou serviço de forma natural e no momento certo.

Pós-vendas: como investir nesse relacionamento?

Na história apresentada no início, João continuou acompanhando os posts da página da clínica veterinária e sente que os conteúdos continuam dando suporte e atenção às necessidades que ele possui com seu animal de estimação.

Investir no Social Selling significa nunca desamparar o seu cliente, mesmo depois de uma venda efetuada. Seus posts continuarão o acompanhando e ele sentirá que você continua dedicando atenção e apoio às suas necessidades e problemas.

Clientes fiéis são promotores espontâneos da sua empresa e lembre-se: manter um cliente é bem mais barato do que captar um novo. E com estratégias de Social Selling, você ganha os dois: o relacionamento pós-venda é potencializado e a captação de novos clientes também.

Implementação: como implementar essa estratégias na sua empresa?

Existem 3 passos básicos que você tem que seguir antes de se jogar na estratégia de Social Selling:

1. Fazer uma pesquisa de persona

Antes de começar a investir nas redes sociais, é importante que você conheça bem qual é o segmento de público que você deseja atrair para a sua página. É extremamente importante que você conheça profundamente os seus clientes atuais para que as suas páginas nas redes sociais cumpram com o objetivo de converter seguidores em vendas. E uma boa maneira de fazer isso é realizando uma pesquisa para identificar esse perfil.

Se você cria uma página sem ter em mente o seu foco, você acabará atraindo diversas pessoas que, apesar de aumentarem o engajamento da sua página, não renderão nenhuma venda.

2.Definir o que você publicará em sua página

Defina os tipos de conteúdo que você publicará e em quais palavras-chave você deseja focar para atrair determinado público.

É importante que você defina uma linha editorial para que a sua página não seja ampla ou generalizada demais. Caso isso aconteça, você acabará atraindo seguidores que não têm nada a ver com o perfil de público que consome o seu produto ou serviço. Então, defina os temas que mais fazem sentido para a sua persona e explore-os nas redes sociais.

3. Criar um calendário editorial e defina a frequência das publicações

Antes de começar a sua estratégia de Social Selling, tente definir uma frequência média de postagens que você fará por semana ou por mês. Quando a frequência não é definida e as postagens são aleatórias, seus seguidores ficam confusos e a sua página acaba sendo esquecida em meio a tantas outras.

Por isso, crie um calendário editorial para que a sua página não fique sem atualizações e novidades por muito tempo e esteja sempre na mente dos seus seguidores.

E aí? Está pronto para começar a investir em Social Selling? Caso ainda tenha mais alguma dúvida, curta a nossa página no Facebook para ficar por dentro desse e de mais assuntos relacionados a esse universo.